• English
  • Português
  • Español
Mais forte e respeitado

Esportes

Copa e Jogos Olímpicos colocam Brasil no mapa esportivo mundial; país democratiza acesso ao esporte e investe como nunca na formação de atletas de alto rendimento

Com Lula e Dilma, Brasil torna-se palco da Copa do Mundo e dos Jogos Olímpicos, investe como nunca em formação e incentivo a atletas e democratiza acesso à prática esportiva / Foto: Getty Images/Portal da CopaCom Lula e Dilma, o Brasil tornou-se palco dos dois maiores eventos esportivos do planeta: a Copa do Mundo de 2014 e os Jogos Olímpicos e Paraolímpicos de 2016. A escolha do país como sede desses megaeventos confirma mais uma vez o crescente protagonismo do Brasil no cenário mundial.

O mundo reconheceu no Brasil – gigante que não para de crescer, distribuindo renda, batendo recorde na geração de empregos e promovendo a ascensão social de milhões de pessoas – o anfitrião ideal.

Respondemos ao primeiro desafio, o da Copa, com uma escalação imbatível: de um lado, a hospitalidade, a simpatia e a alegria do povo brasileiro; do outro, o trabalho do governo federal, dos governos estaduais e da iniciativa privada para fazer as modernas arenas multiuso, que depois da Copa vão receber jogos de futebol e espetáculos musicais; os aeroportos de primeiríssimo mundo, que darão conta do crescimento da demanda de passageiros (de 38 milhões em 2002 para 109 milhões em 2013); as obras de mobilidade urbana que beneficiarão 60 milhões de brasileiros...

Enfim, uma infraestrutura que surpreendeu os estrangeiros e ficará como legado para as futuras gerações de brasileiros.

Esportes para todos -- nas ruas, escolas, parques e praças

Os preparativos para o segundo desafio, os Jogos Olímpicos e Paraolímpicos do Rio, seguem a todo vapor. Afinal, nos últimos 12 anos, o Brasil especializou-se em vencer desafios em todas as áreas, inclusive nos esportes.

Com Lula e Dilma, o país tornou-se capaz de descobrir e formar atletas das mais diversas modalidades. Construiu quadras poliesportivas cobertas em escolas públicas municipais e estaduais. Implantou Centros de Iniciação ao Esporte (CIEs) e equipamentos de esporte de alto rendimento, de olho nos novos talentos olímpicos e paraolímpicos. Espalhou núcleos de esporte recreativo e de lazer em todo o território nacional, para cuidar da saúde de brasileiros de todas as idades. Aprovou uma avançada Lei de Incentivo aos Esportes e criou o Bolsa Atleta, o maior programa de incentivo direto a atletas do mundo. E muito mais.

Porque o Brasil sempre soube que o importante é competir. Mas só nos últimos 12 anos aprendeu o caminho da vitória.