• English
  • Português
  • Español
O povo em primeiro lugar

Luz para Todos

 

O papel do Estado

O Luz para Todos ajudou a iluminar não só o país, mas também o debate sobre o papel do Estado. Antes do governo Lula, cabia ao mercado levar – ou não – conforto e dignidade a quem vivia na escuridão. E como o mercado sempre cobra caro, o programa Luz no Campo, lançado pelo PSDB em 1999, não deslanchou. Impossibilitadas de arcar com os altos custos do programa, as famílias pobres do campo continuaram sem luz. A partir do governo Lula, o Estado assumiu o papel de indutor do desenvolvimento, gerador de oportunidades e promotor da cidadania.

Conheça as populações que são priorizadas pelo Luz para Todos

• pessoas domiciliadas em áreas de concessão e permissão cujo atendimento resulte em elevado impacto tarifário, de acordo com critérios a serem definidos pela Agência Nacional de Energia Elétrica - ANEEL

• pessoas atendidas pelo Programa Territórios da Cidadania ou pelo Plano Brasil Sem Miséria, em sua ampla maioria localizadas nas regiões Norte e Nordeste

• projetos de eletrificação em assentamentos rurais, comunidades indígenas, quilombolas e outras comunidades localizadas em reservas extrativistas ou em áreas de empreendimentos de geração ou transmissão de energia elétrica, cuja responsabilidade não seja do respectivo concessionário; e escolas, postos de saúde e poços de água comunitários.

Quer saber mais como o Luz para Todos muda a vida de milhões de brasileiros?
Leia Luz para Todos – Um marco histórico