• English
  • Português
  • Español
Crescimento com distribuição

Microeconomia

 

Quer saber mais?

Saiba mais sobre o impacto do salário mínimo na economia

Baixe o relatório em PDF.

Recursos na mão dos mais pobres movimentam vendas no varejo

O volume de vendas do comércio varejista dobrou nos últimos 12 anos com a geração recorde de empregos, valorização do salário mínimo e programas de transferência de renda. Os 42 milhões de brasileiros que subiram para a classe C são os responsáveis pelo aumento do mercado de consumo, e uma das suas principais ferramentas é a oferta de crédito. A classe C, que em 2003 representava 38% da população, cresceu para 54%: 108 milhões de pessoas consumiram R$ 1,17 trilhão em 2013 e movimentaram 58% do crédito no Brasil, segundo dados do instituto DataPopular.

O Minha Casa Melhor, programa voltado para os beneficiários da Minha Casa Minha Vida, implantado pela Presidenta Dilma, oferece uma linha de crédito de R$ 5 mil por família, com juros subsidiados de apenas 5% ao ano, para a compra de móveis e eletrodomésticos, como sofá, mesa, cama, máquina de lavar roupa, geladeira, TV digital, microondas e tablet. Parece pouco? Ao todo serão 18,7 bilhões injetados na economia. O conforto e o acesso a bens duráveis numa ponta significa mais produção e emprego na outra ponta. Ganham os dois lados. Ganha o Brasil.

Saiba mais sobre o programa Minha Casa Melhor.

Melhoria de renda vem acompanhada de mais saúde e mais educação

A superação da extrema pobreza e a ascensão à classe C de milhões de brasileiros geram aumento de consumo, mais produção e investimentos, número recorde de empregos. E geram também um outro círculo virtuoso, ajudando a construir um país melhor. Com o Bolsa Família, por exemplo, os pais podem manter os filhos na escola – aliás, são obrigados a fazê-lo. O programa se preocupa com as crianças desde cedo, até antes do nascimento: exames pré-natais, avaliações médicas periódicas e cobertura vacinal. Crescendo com mais saúde e mais educação, as crianças tornam-se adultos mais qualificados para o mercado de trabalho. Seus filhos já não precisarão do Bolsa Família. Terão diante de si um caminho de outras oportunidades: creche, escola em tempo integral, ensino técnico, acesso ao ensino superior... Portas que foram abertas nos governos Lula e Dilma e não param de crescer.

Saiba mais sobre acesso à educação.