• English
  • Português
  • Español
O povo em primeiro lugar

Minha Casa, Minha Vida

 

Mais vantagens para quem tem menos

A casa é o nosso porto seguro. É onde criamos os filhos, recebemos os amigos, passamos as horas mais felizes do dia. A casa é um direito de todos, mas nem todos têm condições de comprar ou construir a sua, ainda que lutem a vida inteira. Foi para esses brasileiros que Lula criou o Minha Casa, Minha Vida. O programa financia famílias com renda bruta de até R$ 5 mil. A prioridade é para as que ganham até R$ 1.600, que pagam 5% de sua renda por dez anos.

Na faixa até R$ 3.275, o subsídio é de até R$ 25 mil e é concedido de forma inversamente proporcional à renda. Para as famílias com renda até R$ 5 mil,  o benefício se dá pela redução da taxa de juros do financiamento habitacional, variando de 5% a 7,16%, de acordo com a renda familiar.

Prestação cabe no bolso

Pesquisa realizada pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA) revela que a prestação do imóvel do Minha Casa, Minha Vida é menor do que os gastos dos beneficiários com despesas de luz, água, gás e condomínio. Essas contas, segundo o Ipea, totalizam em média R$ 105,35, enquanto que as prestações para os beneficiários com renda de zero a R$ 1,6 mil estão em torno de R$ 64,96. Os números provam que o programa é de fato acessível à população mais pobre.

Casa nova, vida nova e melhor

Sabe aquela história: “o jardim do vizinho é sempre mais bonito do que o meu”? Pois ela não vale para o Minha Casa, Minha Vida. Cada família afirma que a sua casa é a mais bonita de toda a vizinhança. E mais: numa escala de 0 a 10, os beneficiários do programa dão nota 8,8 para o item “satisfação com a moradia” e 8,6 para “melhoria na qualidade de vida”. O levantamento foi realizado pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA), a partir de uma amostra com 7.620 moradias, localizadas em 187 municípios do país.

Com as próprias mãos

Outra importante inovação do programa é o Minha Casa, Minha Vida - Entidades, criado com o objetivo de permitir às famílias organizadas em cooperativas, entidades privadas sem fins lucrativos e associações urbanas atuarem como entidades promotoras/organizadoras nos programas habitacionais de interesse social, o que fortalece as práticas de cidadania. Nesta modalidade, as entidades populares reforçam os processos de educação e organização popular, tão importantes quanto a construção das moradias.

Dirigido a famílias de renda familiar mensal bruta de até R$ 1.600, o Minha Casa, Minha Vida - Entidades contratou, até maio de 2014, 43.175 casas em todas as regiões do Brasil, das quais 3 mil já foram entregues.

 

Quer saber mais?Desigualdade de patrimônio imobiliário cai e satisfação com moradia sobe. (link is external)

Conheça melhor a pesquisa do Ipea sobre o Minha Casa, Minha Vida