• English
  • Português
  • Español

Meio Ambiente

Imagem topo: 

“As próprias famílias passam a ser fiscais de ações predatórias porque estão se beneficiando do programa.”

Paulo Guilherme Cabral, secretário de Extrativismo e Desenvolvimento Rural Sustentável do Ministério do Meio Ambiente. Saiba mais em: Bolsa Verde beneficia 42 mil famílias aliando preservação ambiental e aumento da renda 

Português, Brasil


“As ações de capacitação e assistência técnica para acessar mercados diferenciados dos produtos extrativistas ajudam a manter a floresta em pé.”

Mauricio Santamaria, gestor da Reserva Extrativista (Resex) Tapajós Arapiuns, no oeste do Pará. Saiba mais em: Bolsa Verde beneficia 42 mil famílias aliando preservação ambiental e aumento da renda 

Português, Brasil


“O governo Dilma provocou de fato uma mudança de paradigma: a energia eólica deixou de ser marginal e conquistou um papel de destaque como uma das fontes complementares à energia hídrica (ao lado das termoelétricas a gás, carvão e óleo e da energia nuclear).”

Giorgio Romano Schutte, professor de Relações Internacionais e Economia da Universidade Federal do ABC (UFABC) e membro do Núcleo Estratégico de Estudos sobre Desenvolvimento, Democracia e Sustentabilidade (NEEDDS).

Português, Brasil


O que foi feito em 12 anos de governo?

Muitas coisas. Durante os governo Lula e Dilma, só para dar alguns exemplos,  o número de áreas de preservação ambiental aumentou em 50%. O desmatamento da Amazônia, que só crescia antes, caiu 79% entre 2004 e 2013. Operações da Polícia Federal combateram o tráfico de madeira e apreenderam mais de 23 mil metros cúbicos do material.

Português, Brasil
Português, Brasil

Dobra o número de municípios com destinação ambientalmente adequada de resíduos sólidos

Diante dos avanços conquistados com o monitoramento da Amazônia por dados de satélites, o governo federal estruturou, a partir do segundo mandato do presidente Lula, o Projeto de Monitoramento do Desmatamento dos Biomas Brasileiros por Satélite (PMDBBS).

Português, Brasil

Sete das 12 arenas construídas/reformadas para a Copa do Mundo de 2014 receberam a certificação LEED (Leadership in Energy and Environmental Design) para edificações que atestam a adoção de conceitos de sustentabilidade.

O Mineirão (Belo Horizonte), por exemplo, recebeu uma usina fotovoltaica instalada em sua cobertura, capaz de captar energia solar e transformá-la em energia elétrica suficiente para abastecer 1.200 residências de médio porte. As madeiras retiradas do entorno da obra foram reaproveitadas por artesãos mineiros, na produção de arte popular.

Português, Brasil

O Mundial de 2014 também foi a Copa das Copas em coleta de resíduos sólidos para reciclagem. Cooperativas de catadores atuaram nos 12 estádios, para a recuperação e separação dos resíduos deixados pelos torcedores durante os jogos. Só em Fortaleza foram coletadas 90 toneladas de resíduos, na arena Castelão, palco dos jogos, e no aterro da Praia de Iracema, onde aconteceu a Fan Fest. A atividade envolveu 350 catadores de 17 instituições.

Português, Brasil
Português, Brasil

Copa das Copas confirma: Brasil é campeão em sustentabilidade

Os vetos da presidenta Dilma foram fundamentados pela existência de contrariedade ao interesse público e de inconstitucionalidades em parte da nova legislação, tendo sido determinados após consultas aos ministérios do Meio Ambiente, da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, do Desenvolvimento Agrário, do Planejamento, Orçamento e Gestão, de Minas e Energia, da Ciência, Tecnologia e Inovação e das Cidades, além da Advocacia-Geral da União.

Português, Brasil